Fusca Clube Brasil
  Facebook Twitter Adicionar FCMC como minha página inicial Indique este Site!
 

... A evolução das lanternas dos Fuscas vendidos no Brasil. Segue aqui as diferenças básicas entre os seis tipos de lanternas utilizados pelos Fuscas vendidos no Brasil de 1950 até o final de produção, em 1996. Veja as figuras abaixo. Elas representam, esquematicamente, a evolução das lanternas utilizadas pelos Fuscas vendidos no Brasil. É um guia rápido para identificação.

Modelo 1: 1950 a 1952/1ª série
Até o fim de Setembro de 1952 a Volkswagen utilizou uma lanterna de dimensões pequenas, que não incorporava a função de "pisca" (essa função era feita pela "bananinha" na coluna "b", até 1961/1ª série aqui no Brasil). Ela operava apenas como iluminação normal. A função "luz de freio" era exercida pela luz de placa, no "nariz de papa". Essa lanterna tinha lente redonda de vidro, com um desenho reflexivo em forma de favo de mel.

Modelo 2: de 1952/2ª série a 1955/1ª série
Talvez esse modelo seja o mais famoso dos utilizados pelos Fuscas. Conhecido como "lanterna coração", ele foi usado do Zwitter até a primeira sério do modelo 1955 (Oval). Nesse modelo, tudo novo: do modelo redondo da lente, passou-se ao modelo oval, mas ainda em vidro; a carcaça ficou maior; no topo da carcaça a incorporação de uma lente acrílica em formato de coração, que exercia função de luz de freio. De um charme especial, é um produto muito procurado e, em muitos casos, colocado em modelos que originalmente não o tinham, apenas pela beleza do modelo.

(guarnição da lanterna coração)

(parte interna, podendo ser visto o grampo de fixação da lente acrílica superior)

* Curiosidade: A lanterna abaixo é rara (infinitamente mais rara do que as bananinhas ou outras lanternas), e foi utilizada nos Fuscas 1955 2ª série para o mercado norte-americano. Nem todos os Fuscas 1955 saíram de fábrica com essa lanterna - uma Hella especial (é a lanterna coração sem a lente coração e com a lente ovalada).

 

Modelo 3: de 1955/2ª série a 1961.
Se a lanterna coração é a mais famosa e charmosa, a lanterna utilizada de 1955/2 até 1961 é a que sofre maior índice uso incorreto nos Fuscas brasileiros antigos. Talvez porque os proprietários queiram "rebaixar" o ano do carro com essa lanterna. A partir da segunda série de 1955 a lanterna aumentou de tamanho, continuando com o formato oval e com as funções de iluminação e freio. As lentes ainda de vidro, com o desenho reflexivo ocupando o centro da lente, em formato de favo de mel. Os modelos de 1961/2ª série têm uma característica única: a lanterna tinha função tripla: iluminação, freio e pisca.

Modelo 4: de 1962 a 1970/1ª série, e a partir de 1972/2ª série nos modelos 1300.
Talvez esse modelo seja a lanterna de maior utilização por Fuscas nacionais de fábrica, se contarmos que ele foi utilizado por 8 anos em todos os modelos e depois pelos modelos 1300. Em relação ao modelo anterior a mudança foi radical: aumento do tamanho, lentes em acrílico e com superfícies laterais e superior visíveis e incorporação da função "pisca" (cor laranja). A segurança aumentou para o motorista, pois a lanterna era mais visível e funcional, devido ao aumento do tamanho e mudança de posição no pára-lamas - um pouco acima da posição do modelo anterior. É conhecido como "lanterna do Fusquinha".

(lanterna tricolor)

(aro da lanterna)

(existiram também as lanternas traseiras monocromaticas (vermelhas) na década de 60 (62 em diante), mas eram usadas somente nas versões STANDARD, ou seja estas versões não eram oferecidas ao público em geral e sim a orgãos governamentais, mas em 1975 com a nova legislação referente a luz de emergência (pisca-alerta) todos os fusquinhas 1300 começaram a vir com as lanternas monocromaticas (toda vermelha), então, de 75 em diante as "lanterninhas" sempre foram monocromaticas até o final dos 1300 em 84.

 

Modelo 5: de 1970/2ª série a 1979/1ª série .
Modelo utilizado a partir do lançamento do Fuscão (1500), perdurou até a entrada do modelo de lanterna conhecido como "fafá". No modelo do Fuscão, as duas grandes inovações foram o aumento do tamanho do conjunto (mais uma vez) e a inclusão da luz à ré. Agora a lente passa a ser tri-cromática, com a área inferior na cor "cristal" para a luz indicadora de marcha à ré. Essas lanternas também ficaram conhecidas como "pata de cavalo".

Como comentado anteriormente, em 1975 tornou-se obrigatória a luz de emergência (pisca-alerta) , então a lanterna traseira passou a ser toda vermelha somente com a luz de ré branca, acreditasse que seria para poder diferenciar a dianteira da traseira.

Modelo 5: de 1979 a 1986, e de 1993 a 1996.
Esse modelo foi o último utilizado pelos Fuscas no Brasil. Lançado em 1979, época em que a cantora Fafá de Belém fazia sucesso, recebeu o apelido "carinhoso" de "lanterna fafá". O padrão tri-cromático foi mantido, sendo apenas aumentado o seu tamanho e formato: dessa vez a lanterna ficou bem maior e voltou a ser redonda, tal qual o primeiro modelo era. Maior segurança para o motorista.

 

 

Contribuição:
Lemos, Rotea e Maggiolino do http://www.fuscaforum.com/
  
 
Outras informações:
História do logo da volks
A Evolução das Lanternas
 
 
 
©2011 Fusca Clube de Mogi das Cruzes - Todos os direitos reservados.
Produção RGM Tecnologia